HOMILIAS DO PE. JOSEPH EMANUEL

8º Domingo do Tempo Comum - Ano C

«O homem bom, do bom tesouro do seu coração tira o bem;

e o homem mau, da sua maldade tira o mal; pois a boca fala do que transborda do coração». (Lucas 6,45)

Nós nos revelamos a partir daquilo que sai da nossa boca

No Evangelho de hoje, Jesus está a dar-nos muito conselhos por meio de parábolas. Ilustrando, sobretudo, que um cego não pode guiar outro cego, porque ambos cairiam em um buraco.

 

Nós, muitas vezes, estamos cegos porque achamos que sabemos tudo. Então, falta-nos aquela humildade necessária para saber que precisamos aprender com Deus aquilo que, de facto, devemos ser. Sendo assim, é essencial cuidar do coração, das coisas que temos dentro dele.

 

Jesus no Evangelho explica-nos que o coração é como uma árvore. Uma árvore boa dá bons frutos e, é óbvio que, uma árvore estragada não dá bons frutos. Então, é essencial o cuidado com o nosso coração, para que os bons frutos possam ser colhidos, revelados e saboreados. “O homem bom só pode tirar coisas boas do bom tesouro que é o seu coração”.

 

A primeira leitura do Livro do Eclesiástico, aqui anunciado como de Ben-Sirá, nos mostra que a virtude do homem se revela no seu falar. Não julgues quem é uma pessoa sem antes a escutar. E, escutar aquilo que sai da boca dela, não é escutar o que a pessoa fala como retórica, e sim o que fala no seu dia a dia. Porque aquilo que sai da boca da pessoa no seu dia a dia, revela o que está no seu coração.

 

Ora, uma pessoa que só critica tudo, que vê mal em tudo, é sinal de que muita coisa está mal dentro dela mesma. Uma pessoa que vê tudo sob o olhar do azedume, da amargura, é porque o coração está com muita coisa azeda e amarga. Ora, de uma boca que o tempo todo só sai boatos e só fala da vida dos outros, é sinal de que a pessoa não cuida da sua própria vida, não tem autocrítica e não se conhece.

 

Nós nos revelamos a partir daquilo que falamos. E até o nosso silêncio revela aquilo que somos. Então, não é só uma questão de cuidar da língua, porque, se não a dominares, a boca vai soltar aquilo que temos dentro do coração.

 

Como é importante cuidar daquilo que está dentro de nós! Muitas vezes, acumulamos ressentimentos, mágoas e rancores. Acumulamos decepções ora aqui, ora acolá; e isso se amassa dentro nós uma “massa”, um “bolo” perigoso. Às vezes, soltamos “fogo pela boca”, veneno, pimenta, coisas ardidas e negativas porque acumulamos tantas coisas erradas, maldosas, maliciosas e perniciosas dentro do nosso coração.

 

A Palavra de Deus, no dia de hoje, é-nos enviada para ser purificação. Primeiro, da nossa alma e, depois, para nos dar prudência naquilo que escutamos e no que falamos. Nunca nos deixemos na caír na tentação, pois, se não te acautelas acabas por revelar quem és a partir daquilo que sai da tua boca.

 

Finalmente, que o Senhor também nos conceda a graça para que possamos apresentar ao Senhor frutos maduros e saborosos.  Que Ele mesmo nos ajude a reagir abrindo o nosso coração ao bem e ao amor, para que a nossa vida interior nunca se assemelhe a árvore seca e sem vida. Que Ele também nos ajude a tirar a trave que carregamos em nossos olhos, a fim de termos condições de ajudar os nossos irmãos e irmãs a tirarem o cisco de seus olhos. Assim seja.

Pe. Joseph Emanuel

Homilia proferida na Missa das 9:00 a.m.

 

Copyright © 2019-2022 Church of Our Lady of Fatima | All Rights Reserved | Site Webmaster Joseph dos Santos